segunda-feira, 7 de dezembro de 2009


E as pernas.
Avistava nelas tal luminosidade inexplicável.
Perdia-se nelas.
E nada mais funcionava fora de si.
Só dentro. Na mente.
E dentro quanto ele estava
Inevitável, necessário, forçoso.
Tudo voltou a funcionar

Depois as pernas.
Entrelaçadas, maleáveis, recíprocas.

Porquanto durasse.


Fernanda Paz

2 comentários:

  1. perdia-se nelas
    e nada mais funcionava fora de si
    só dentro .na mente
    e dentro quanto ele estava [...]

    fernandinha é foda!

    ResponderExcluir